domingo, outubro 16

O Festival de todos os sonhos

Todos os anos, no mês de Outubro, a Amadora transforma-se no Reino-dos-Sonhos, acolhendo profissionais e público em geral numa festa, uma celebração de uma forma de arte / linguagem / indústria, centrada no livro de BD.

O Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora (FIBDA) decorre anualmente, e, desde 1990, conseguiu projectar a cidade da Amadora primeiro como capital nacional da banda desenhada, e depois como importante marco ao nível internacional.
Acolhendo o Sonho como tema central, a 16ª Edição do FIBDA, que será inaugurada no próximo dia 21, não deixa de questionar o espaço que uma cidade como a Amadora deixa para os sonhos. É um tema a que, necessariamente, voltarei.
Ricardo Ferrand, o autor de A Verdadeira História de Portugal, assina a imagem do FIBDA 2005, e será o autor português em destaque, com uma exposição individual.
O Sonho na Banda Desenhada apresenta um núcleo ambicioso. Celebram-se no mês de Outubro cem anos sobre o início da publicação original de um dos maiores clássicos da BD: Little Nemo in Slumberland, de Winsor McCay. Foi em 15 de Outubro de 1905, nas páginas do ?New York Herald?, de James Gordon Bennett, que o Rei Morfeus mandou pedir ao pequeno Nemo que comparecesse no Reino-dos-Sonhos. Foi esta a série que definiu a banda desenhada tal como a conhecemos hoje. O FIBDA celebra a série Little Nemo e o génio de McCay, que abordou o sonho noutras séries. Little Nemo e McCay estarão em evidência com uma exposição na Galeria Municipal Artur Bual, e uma pequena mostra no núcleo central da estação de metro de Amadora-Este.
O sonho na BD portuguesa dos últimos 15 anos é uma exposição colectiva que mostra como o sonho tem sido um dos protagonistas do actual momento da banda desenhada nacional.
De Um Catálogo de Sonhos, A Tribo dos Sonhos Cruzados, esta exposição reúne alguns dos exemplos mais significativos da presença do sonho na banda desenhada portuguesa dos últimos 15 anos (a idade do FIBDA), integrando trabalhos de António Jorge Gonçalves, David Soares, Diniz Conefrey, Filipe Abranches, João Fazenda, José Carlos Fernandes, José Ruy, Luís Louro, Miguel Rocha, Rui Lacas e Rui Pimentel.
O sonho na BD dá ainda especial atenção a títulos, séries e autores que destacaram a temática dos sonhos: Sandman (de Neil Gaiman e diversos autores, editado em Portugal pelas edições Devir), Olivier Rameau (de Dany e Greg, editado em Portugal na revista Tintin), O Sonho Prolongado do Sr. T (de Max, autor espanhol de Peter Pank, personagem que esteve em evidência no FIBDA 95), Alice in Sunderland (de Bryan Talbot, autor que esteve presente no FIBDA 2004), As Cidades Obscuras (de Schuiten & Peeters, editado em Portugal pela Meribérica-Liber e Witloof Edições), Promethea (de Alan Moore e J.H.Williams, série que esteve em destaque na exposição Argumentos, apresentada pelo CNBDI em 2002), Fred, Jodorowsky, Moebius, etc.
Haverá também um núcleo dedicado às séries de homenagem ou paródia a Little Nemo: Agar, de Moliterni (o argumentista de Harry Chase, Scarlett Dream e Taar, todos editados em Portugal pela Meribérica-Liber) e Gigi; Little Ego, de Giardino, editado em Portugal pela Meribérica-Liber; Little Nemo, de Moebius e Marchand, editada em Portugal pela Meribérica-Liber (de onde se retirou a imagem que ilustra este texto); McCay, de Smolderen (o argumentista de Gipsy e Olivier Varèse, ambas com Marini e editadas em Portugal pelas Edições Asa) e Bramanti, e Nic, de Hermann.
Numa iniciativa de Geraldes Lino, diversos autores portugueses foram convidados a homenagear Little Nemo para o FIBDA.
Pela primeira vez no mundo, será apresentada uma exposição colectiva de Dreamcomics, uma mostra de autores de todo o mundo que registam os seus sonhos em forma de banda desenhada: David B. (França), Steve Bissette (EUA), Al Davison (Inglaterra), Julie Doucet (Canadá), Neil Gaiman (Inglaterra), Rick Grimes (EUA), Horus (Alemanha), Jesse Reklaw (EUA), Dave Sim (Canadá), Rick Veitch (EUA), Jim Woodring (EUA), Alekzandar Zograf (Sérvia), Michael Zulli (EUA), etc.
Fora dos sonhos, e para além dos concursos (este ano muito concorridos), estão previstas uma exposição sobre O Menino Triste (projecto de J. Mascarenhas, membro do colectivo Extractus), uma mostra alusiva aos 40 anos da personagem Taka Takata, uma exposição relativa ao argumentista norte?americano Ed Brubaker (Catwoman, Sleeper, etc.) e uma colectiva do projecto Event Horizon de Liam Sharp. O espaço infantil fica a cargo de José Abrantes.
Os Recreios da Amadora acolhem as exposições de cartoon, e a Casa Roque Gameiro volta a receber as mostras de ilustração, dedicadas a Carlos Alberto e Marta Torrão.
Em termos de presenças de autores estrangeiros, este é um dos cartazes mais impressionantes da história do Festival, já que viajam até à Amadora autores para todos os gostos: Claude Moliterni, Thierry Smolderen, Bramanti, Bruno Marchand, Giardino, Max, Bryan Talbot, Rick Veitch, Al Davison, Zograf, Jim Woodring, Ed Brubaker, Sean Phillips, Cameron Stewart, Liam Sharp, Jo-El Azara, Leandro Fernandez, Esad Ribic e Gary Spencer Millidge. E ainda se aguardam mais confirmações por parte do FIBDA, e os nomes dos autores ligados às Edições Asa. (Pedro Mota)
:)

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial